Pages

quinta-feira, janeiro 07, 2010

Na minha terra se fala assim.


Quem nasce em Salvador ééé... Oxe, não é Salvadorenho??
Para quem já teve essa dúvida, ó pá cá que eu vou ensinar. Salvadorenho é quem nasce em El-Salvador (El Salvador?????? que país é esse?????) aquele país mínimo do caribe,quem nasce em Salvador é salvadorense (segundo o Dicionário Aurélio) ou soteropolitano que combina mais com nosso sotáque, que gosta de por acento em tudo!
BAIANÊS
De vez em quando alguém de outro estado fala comigo acreditando que esta falando o legítimo sotaque baiano
me racho de rir com as garfs então,vou falar um pouco sobre o baianês.
Em Salvador é falado o Baianês, que conta com seu próprio alfabeto:
A Bê Cê Dê É Fê Guê Agá Í Ji Lê Mê Nê Ó Pê Quê Rê Si Tê U Vê Xis Zê
Ao contrário do que muitos pensam, o Baianês não é falado lentamente, mas sim cantando. Não existe o gerúndio, mas sim o gerúnio: o "d" no "-ndo" é excluído, o que resulta em falano, correno, ao invés de falando ou correndo.(eu sempre falo assim viu?eu tô ino,vino,caino,fazeno,comeno...)nada de forçar o "ndo" só pra agradar quem veio do sul e sudeste.
Em baianês, uma frase nunca é concluída. Existem alguns verbos novos, como "bora" ou apenas "bó", que significa "vamos" (acompanhe a evolução: originalmente "vamos em boa hora" - "Vamos embora" - "Vumbora" - "'Bora" - "Bó") e também pode ser dito em forma repetitiva-poética como "borimbora" ("Vumbora embora") . Os exemplos abaixo só corroboram que existe uma capacidade inata no baiano em poupar energia. O caso clássico consiste na evolução do "Vossa Mercê" em "Vosmissê", após no já comum "Você", então no atualmente utilizado "Cê" e já foram encontrados casos de comunicação natural através do "Rummm" (som de grunido).
O bó já está disseminado. Também já presenciei casos de utilização do Rummm. É nessa hora que eu me pergunto aonde o português vai parar...
"Colé, miserê!" - Olá, amigo.
Diga aê,véi-Olá amigo
Digái, negão!" - Olá, amigo. (independente da cor do amigo)
"Colé de merma ?" - O que é que você quer mesmo? (Caso notável de compactação!)
"Eu tô ligado que cê tá ligado na de colé de merma" - Estou ciente do seu conhecimento a respeito do assunto.
(O colé de merma sofre a variação para o colé de mermo...Depende de quem fala).
"ei, ó o auê aí ô" - tida como a única frase universal a utilizar apenas vogais e ter sentido completo, significa 'parem de baderna.'
(ex:numa sala de aula os alunos não param de falar auto,então o professor irritado diz; "ei,ó o auê ai ô " e eles se calam) entendeu?
O pessoal aqui se liga nas vogais. Tem também aquela música: aê, aê, aê, ê, ê, ô, ô, ô...
"Recebi Foi a Galinha Pulando" - Problema ou situação inesperado de alto grau
Isso virou até nome de banda.
Bó vazá véi" - Vamos embora
Essa já ficou comum.
"Ó paí ó" - Olhe para isso, olhe!
Clássica.
Eu quero prova e R$ 1,00 de Big-Big!" - O mesmo que a expressão acima. O "Big-Big" é um chiclete muito valorizado por pessoas de todas as classes.
Uma relação diretamente proporcional: quanto maior for a descrença maior será o gasto em reais.
(ex:eu quero é prova;R$ 1,00 de big-big que ele vai)
"Dei um ninja" - Escapei de um compromisso ou algo desagradável.
"Oxe!" - Todo baiano usa essa expressão para tudo, mas um forasteiro nunca acerta quando usa.(nunca mesmo)
É o diminutivo de oxenti, geralmente utilizado para mostrar surpresa, indignação ou coisa parecida.
Por enquanto é só;(ah!"visse"definitivamente não faz parte do baianês,isso é invenção de novela).
Periférica
(Foto retirada da internet)

2 comentários:

*Bela Poeta disse...

Oxe! Como é difícil falar "baianês".rsrs
Ótimo texto periférica e agradeço sua visita em meu blog. Gostei muito daqui e voltarei assim que puder.
Um grande abraço,
Vanessa.

Periférica disse...

Oxe obrigada minha linda!rsrs

Postar um comentário