Pages

quinta-feira, março 04, 2010

Sons do Silêncio

Seria muito simplória se dissesse que apenas gosto do silêncio,que gosto do silêncio em sua essencia,(da ausência de sons).não é desse silêncio que eu gosto,embora seja proveitoso em certas circunstâncias,não é dele que estou a falar.
Gosto do silêncio recheado de ruidos,recheado com o ruido dos ventos,dos ventos balançando as folhas das arvores,das arvores cheias de passaros cantores que cantam enquanto crianças correm com seus risinhos faceiros.
Gosto do silêncio recheado com o barulho do mar e o mar com suas ondas batendo nas pedras e voltando e indo até a areia e voltando;gosto do silêncio recheado com os sons da vazão da maré,com o som dos meus pés andando na areia cheinha de pedrinhas minusculas.
Gosto do selêncio recheado com "As quatro estações de Vivaldi",pela incrivel sensação de "silêncio"que sinto ao escuta-las!gosto do silêncio recheado pelo leve amassar das roupas(quase imperceptivel)pela respiração levemente ofegante,pelo riso ou choro inevitáveis que um abraço cheio de saudades pode provocar.
Gosto do silêncio recheado com as converças e risadas das pessoas que amo em uma tarde ensolarada.
Gosto do silêncio recheado com o som da chuva caindo e batendo nos vidros das janelas,no telhado de casa,nas folhas do quintal,recheado com o som do vento uivando e quebrando o silêncio recheado com um relampejar seguido de......silêncio
Gosto do silêncio recheado com os sons,que só o silêncio pode trazer.
Periférica
(Foto retirada da net)

1 comentários:

Anônimo disse...

Muito interessante sua colocação Ângela. De fato, nossa vida é marcada pelos sons "silenciosos", livre da voz, sons desprendidos de explicações... A chuva, o raio, crianças rindo, vento nas folhas. Sons que nos fazem sentir uma gama infinita de sensações, desde alegria à nostalgia. Todas essas sensações podem nos vir à tona ao simples ouvir desses sons "silenciosos".

Postar um comentário