Pages

quarta-feira, dezembro 08, 2010

Papo cabeça?

A alguns dias o Will e eu tivemos uma converça bem interesante sobre pessoas sensíveis e pessoas muito sinceras.citei o House da série norte americana "Dr House" e disse que gostava da personagem e que ria bastante nos epsódios.então meu amigo comentou.
-"Imagina lidar diariamente com uma pessoa como aquela?Não acho que seria engraçado."
Concordei que engraçado realmente não seria,no entanto,acredito que seria enriqueçedor.como?!Resaltei que acho o desapego dele a certas emoções e sua sinceridade interesante,isso na série é motivo de tantos conflitos justamente porque as pessoas normalmente não gostam de pessoas sinceras,mesmo que isso tenha o objetivo de ajuda-las.
O Will concordou que "ninguém gosta de sinceridades,principalmente quando tratam de assuntos delicados que nos envolvam."é Justamente o que gosto no House,ele não tém esse apego a considerações convecionais,por exemplo;eu penso algo de você,de sua atitude,tenho uma opnião formada,mais não digo porque tenho medo de perder usa amizade.o House não pensa assim. 
-"É justamente por isso que ele,a personagem,é tão azedo e solitário."disse o Will.
Mais note!as pessoas com quem ele é mais sincero são justamente os do convivio dele,e elas continuam lá.
Por obrigação?Talvez.acredito que a conveniencia tambem ajuda.
O will resaltou que ele é um ótimo profissional e que isso pode contribuir para que as pessoas continuem a suporta-lo e que,com certeza existem outras coisas envolvidas.
Exatamente!essas "outras coisas" são as conveniencias.acredito que a reação ao que se ouve depende da cabeça de quem ouve e das consequências que essa pessoa sabe que haverá a essa reação.se agir com extrema sensibilidade,criar uma tempestade por causa do que alguém disse significar perder um privilégio por exemplo,provavelmente a pessoa vai se conter,por outro lado,se não ouver nada envolvido a pessoa provavelmente vai reagir muito negativamente fazendo parecer que o outro é um monstro que expôs seus defeitos,limitações e frustrações.
As pessoas em sua maioria não precisam ficar muito sensibilizadas (entenda-se ofendidas) com o que alguém diz....normalmente é a conveniência que define isso.
É claro que a personagem House tém outras nuances que eu concordo e muitas outras com as quais eu não concordo.é só um personagem que diz coisas com três objetivos:impressionar (para os impresionaveis),aborrecer e chocar (para os sensiveis) ou fazer rir.eu sempre fico com o terceiro.
O assunto deste post só resaltou um ponto que gerou a converça, e é claro que o will e eu não concordamos com tudo.acho que o texto deixou isso claro.
A converça durou bastante,entrou em pontos que ao mesmo tempo que destoavam do assunto convergiam  no mesmo.
Não vou dizer como terminou.o texto é só uma forma de fazer pensar no assunto.

Periférica

Gravura retirada da net



2 comentários:

Anônimo disse...

Gostei da forma como redigiu o texto. Gostei de servir como ponto de divergência. Sempre gostei. Qualquer assunto tem inúmeros prismas por onde podemos abordá-lo, e, nos deparar com pessoas que nos apresenta opiniões diferentes nos ajuda a provar nossa consciência sobre um assunto, se nossas teorias são sólidas e nossas opiniões concisas. Não quero provar ter razão, nem acredito que você o queira (será?), só quero ter minha opinião reconhecida. Vamos ver aonde o próximo personagem vai nos levar. Abraços.

Periférica disse...

Obrigada pelo comentário!
Não,eu não quis provar ter razão,parece que o texto passa essa impressão,entretanto não o é.só reproduzi o trecho de uma converça que julguei interessante e me fez pensar nos motivos das pessoas reagirem como reagem em determinadas situações.O will com suas resalvas me fez pensar que pode ser importante ver esse assunto com certo equilibrio.
abraços.

Postar um comentário