Pages

sábado, janeiro 12, 2013

La solitude


Eu gosto da solidão, a solidão me propõe momentos muito bons, de leitura, de meditação, ao tomar decisões, ao ler um bom livro, ouvir minhas musicas favoritas... mas não gosto que ela seja frequente, existe um limite para a solidão, embora muitas pessoa gostem e afirmem lidar muito bem com ela eu a encaro como uma visita que se deve receber de vez em quando, para que não vire rotina. Creio que um dos grandes perigos da solidão está no risco de nos acostumarmos a ela, nos acomodarmos, acharmos que é melhor assim.
 Eu gosto de saber que posso controlar a solidão (mesmo que isso não seja sempre possível), chama-la quando necessito dela. A ideia de que ela me domine não me agrada. 
A vida oferece tanto, mas para tanto é necessário abrir mão da solidão nem que seja de vez em quando e isso para quem já se acomodou à ela exige coragem, de encarar algo novo, de ter sua vida invadida seja como for. 
Às vezes uma simples mudança na rotina já seria o suficiente pra mandar a solidão fazer um passeio, mas às vezes é preciso mais e esse 'mais' é o tal esforço maior que muitos sofrem tanto para fazer e que eu não não estou disposta a precisar fazer então, continuo com minha luta (dramática, não?) para não permitir que ela me domine.

"La solitude ne donne rien de bon, que de l' indifférence"





1 comentários:

Raiza Gonçalves disse...

As vezes é preciso um pouco de solidão mas, depois que você tem esse tempo é capaz de ver que não vive sem seus amigos

Faz uma visita ?
http://peoplecrazystipoeu.blogspot.com.br

Postar um comentário